Você está em: Home / Município / Histórico da Capela São Tiago - na Vila Florida
A+ A- texto
normal

Histórico da Capela São Tiago - na Vila Florida

Page_text_875660c29150062c983a0b5039d09f98

Povinho, Povinho do Boqueirão, Boqueirão de Santiago, Santiago do Boqueirão e Santiago, nosso município faz parte do território missioneiro, tendo sido chão de Portugal e de Espanha, ao sabor dos tratados diplomáticos e das lutas que envolveram os dois países.

Com a fundação das reduções, os jesuítas, juntamente com o cultivo do trigo, do algodão e das demais plantações de subsistência, introduziram a pecuária no solo gaúcho, estabelecendo grandes estâncias de criação de gado. Para serem administradas, essas estâncias eram subdivididas em postos, atendidos por famílias, competindo o gado alçado, acostumando-o à presença do homem e facilitando o seu manejo.

Junto a esses postos havia sempre uma capela destinada à devoção dos moradores. A Capela de São Thiago, junto ao posto de mesmo nome, que era o de número XV da redução de São Miguel, segundo refere-se Armando Lima, em seu livro “Terra Farroupilha”, teria sido erguida em 1629, no local então conhecido como Duraznal de Santiago.

A Capela não se situava no local onde se encontra a cidade, mas distante 17km da mesma, à beira da rodovia que liga o município ao Distrito de Florida, onde hoje ainda se encontram restos de edificações muito antigas no local.

Foi nesse pequeno templo que em 1756, os sobreviventes da chacina de Caiboaté, que regressavam a São Miguel através do Caminho do Boqueirão, rezaram o primeiro “responso” solene pela alma de Sepé Tiarajú, morto em 7 de fevereiro, como consta do Diário do Padre Thadeo Henis, publicado pelo Arquivo Nacional, Vd. “Anais da Biblioteca Nacional” – Vol. – Rio, 1930.

O lugar é duplamente histórico. Ali foi prestada a primeira homenagem em memória de Sepé. Ali, cem anos depois, em 1856, se reuniram os primeiros moradores da vila para dar início à construção da nossa primeira igreja. O nome do município, segundo Antonio Carlos Machado, provém de Sant’Iago, pois não era costume dos jesuítas batizar suas reduções, estâncias e postos com o nome de pessoas e sim de santos. Por isso, considera-se que o nome do município é uma homenagem a São Thiago Apóstolo, considerado patrono dos campos e caminhos, o que faz com que nossa cidade se torne um importante ponto de peregrinação religiosa, turística, mística, cultural e espiritual, já que é a única cidade no Brasil com a influência jacobea do apóstolo.

Pensando na valorização da história e da memória do local e também ampliando os atrativos do projeto turístico “ Caminhos de Santiago das Missões”, no ano de 2004, foi construída uma capela em memória aquela já extinta, para referenciar todos os acontecimentos do local. Patrícia Ferreira Pinto e Jamil José Pinto doaram a área onde hoje se encontra a Capela São Thiago. Uma imagem do santo esculpida em madeira, pelo artesão João Prestes foi entronizada no dia 25 de julho de 2004.

Atualmente, incentiva-se a comunidade e os visitantes aproveitarem as belezas cenográficas que o local oferece e se informarem da sua história. Afinal, foi ali que começou a nossa terra! Foi aqui que surgiu a nossa gente!